.:mais sobre mim

.:pesquisar

 

.:Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.:posts recentes

.: Vacinação do recém-nascid...

.: Higiene do recém-nascido

.: Transporte do recém-nasci...

.: O trabalho de parto

.: Preparar a mala - o parto

.: Gestação... da 40ª à 42ª ...

.: Gestação... da 35ª à 39ª ...

.: Gestação... da 30ª à 34ª ...

.: Gestação... da 25ª à 29ª ...

.: Gestação... da 20ª à 24ª ...

.:arquivo

.: Setembro 2009

.: Agosto 2009

.: Julho 2009

.: Junho 2009

.: Maio 2009

.: Abril 2009

.: Março 2009

.: Fevereiro 2009

.: Janeiro 2009

.: Dezembro 2008

.: Novembro 2008

.: Outubro 2008

.: Agosto 2008

.:tags

.: todas as tags

.:as minhas fotos


Web Design

.:links

.:mapa dos usuários

Locations of visitors to this page
blogs SAPO

.:subscrever feeds

Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

Desconfortos 3º trimestre

Dispneia

A dispneia consiste em falta de ar. Em todas as etapas da gravidez há alterações bioquímicas e mecânicas no sistema respiratório em resposta às alterações hormonais. As alterações facilitam a troca gasosa à medida que a gestação avança, o que resulta numa maior quantidade de oxigénio fornecida à gestante. Este incómodo é fruto da elevação do diafragma cerca de 4 cm durante a gestação, o que impede os pulmões de se expandirem normalmente.

Neste último trimestre a frequência respiratória é acelerada, cerca de dois movimentos/minuto pelo aumento da progesterona.

Recomenda-se:

*      Manter uma postura correcta;

*      Dormir recostada com almofadas nas costas ou cabeceira mais elevada;

*      Evitar refeições pesadas principalmente ao jantar;

*      Não fumar;

*      Evitar actividades que exijam esforço físico;

*      Comunicar ao profissional de saúde uma vez que em alguns casos poderá estar associada à anemia ou problemas cardíacos maternos.

 

Insónia

A insónia consiste na dificuldade em iniciar ou manter o sono, esta é uma alteração característica do último trimestre. Os factores causais são diversos: desde o tamanho do feto que ocupa grande parte do espaço abdominal da grávida e em conjunto com os movimentos fetais provoca, por vezes, dispneia e aumento da frequência urinária na grávida, o que resulta em insónia; a ansiedade que está associada à sua nova condição/situação de vida.

Recomenda-se:

*      Tomar um banho quente antes de deitar;

*      Beber um copo de leite morno à noite;

*      Descansar e manter-se calma;

*      Pedir para massajar as costas e abdómen;

*      Apoiar as diferentes partes do corpo em almofadas de forma a encontrar uma posição confortável;

*      Tentar dormir em decúbito lateral esquerdo (o membro inferior esquerdo deve ter o joelho dobrado contra o peito e a outra perna esticada) e os braços por cima da cabeça;

*      Não ingerir bebidas alcoólicas ou bebidas estimulantes como café ou Coca-Cola;

*      Praticar técnicas de relaxamento;

*      Evitar deitar-se logo após as refeições.

 

Gengivite

A gengivite consiste numa inflamação das gengivas. A inflamação das gengivas é fruto das alterações hormonais que se produzem durante a gravidez, existe também uma maior vascularização das mucosas e os capilares ficam mais frágeis.

Durante a gestação é comum o sangramento de mucosas (nasal, gengival). Contribui para este desconforto, o descuido com a higiene oral que é frequente por causa da eventual existência de náuseas. É frequente as grávidas referirem que lavar os dentes estimula as náuseas. Quando uma mulher apresenta tártaro, a gravidez potencia o aparecimento de uma tumefacção como consequência do crescimento de tecido gengival, chamado tumor de gravidez. O tecido edemaciado sangra facilmente. Se existir uma ferida os alimentos ao serem ingeridos podem provocar dor.

Recomenda-se:

*      Fazer uma dieta equilibrada e variada;

*      Utilizar uma escova média / macia e fio dental;

*      Escovar os dentes delicadamente e após a ingestão de alimentos;

*      Usar flúor após a escovagem dos dentes;

*      Ter uma boa higiene oral de modo a evitar infecções;

*      Consultar o dentista para uma limpeza dos dentes e tratamento de cáries.

 

 

Edemas

Os edemas consistem, segundo WIKIPÉDIA (2008), numa acumulação anormal de líquido no espaço intersticial. A retenção de líquidos pode ser fruto do aumento do volume sanguíneo, aumento de peso, postura incorrecta, sedentarismo, uso de roupas apertadas e uma excessiva ingestão de sal. Pode ser apenas consequência da pressão do útero sobre os vasos sanguíneos da pélvis e do menor grau de tensão das veias. A pressão mecânica exercida pelo útero grávido sobre a veia cava e as veias ilíacas comuns, provoca uma diminuição do débito cardíaco e da pressão arterial o que dificulta o retorno venoso, provocando assim edema dos membros inferiores.

Recomenda-se:

*      Ingestão abundante de líquidos a fim de urinar com maior frequência;

*      Cumprir uma dieta a meio sal;

*      Colocar meias elásticas de grávida antes de levantar;

*      Repousar o mais possível com as pernas elevadas e em decúbito lateral, preferencialmente o esquerdo;

*      Praticar exercício físico moderado de modo a facilitar a circulação dos membros inferiores;

*      Evitar estar longos períodos sentada ou de pé e cruzar as pernas;

*      Elevar a base da cama;

*      Não usar roupa apertada e usar sapatos confortáveis de salto baixo, mas não rasos;

*      Comunicar a ocorrência deste desconforto aos profissionais de saúde.

 

Cãibras

A cãibra é uma contracção muscular que acontece involuntariamente, é uma contracção súbita, de curta duração e geralmente dolorosa, de um ou mais músculos. São comuns nas últimas semanas de gravidez, essencialmente nas pernas e pés e em especial durante a noite. Podem ser sintomas da falta de cálcio e potássio, da má circulação periférica, fadiga muscular, alterações circulatórias e compressão dos nervos dos membros inferiores por aumento ponderal.

Recomenda-se:

*      Fazer exercícios alternando a flexão e extensão do pé do membro afectado;

*      Massajar e aplicar calor nos músculos localmente;

*      Quando estiver sentada deve manter as pernas direitas e os calcanhares pousados no chão, ao mesmo tempo, que estica os dedos dos pés na direcção do rosto;

*      Se forem frequentes pode haver necessidade de um suplemento de magnésio (com aconselhamento do seu médico);

*      Depois de passar o incómodo, deve caminhar para estimular a circulação.

 

 

Dores abdominais/ contracções de Braxton Hicks

A dor abdominal consiste numa sensação anormal e dolorosa que resulta da estimulação das terminações nervosas nos órgãos ou regiões sensíveis na parte inferior do tronco (MÉDICOS DE PORTUGAL, 2007). A dor abdominal na gravidez pode ir desde intermitente a moderada, sendo comum durante toda a gravidez devido ao estiramento dos músculos e ligamentos do abdómen.

As contracções de Braxton Hicks consistem em falsas contracções, sendo de intensidade leve ou indolor.

Recomenda-se:

*      Tranquilizar a grávida;

*      Incentivar mudanças de decúbitos;

*      Aplicar creme na pele seca;

*      Massajar suavemente o abdómen com movimentos circulares;

*      Repousar e utilizar técnicas de relaxamento;

*      Estar atenta às características das contracções. Se dolorosas deve ir ao serviço de urgência;

*      Excluir a possibilidade de início de trabalho de parto.

 

Polquiúria/ urgência urinária

A polaquiúria consiste numa frequência urinária elevada e em pequena quantidade, o que pode significar uma doença do trato urinário. Durante a gestação observa-se um aumento do volume renal devido ao aumento da vascularização e da expansão do espaço intersticial. É frequente a dilatação da árvore excretora urinária, motivada pela compressão exercida pelo útero ao nível do rebordo pélvico.

A infecção urinária é mais comum em gestantes. Sempre que houver ardor e/ou dor na micção, sangue na urina ou febre deve comunicar aos profissionais de saúde.

Recomenda-se:

*      Utilizar penso diário;

*      Urinar sempre que tiver vontade;

*      Diminuir a ingestão de líquidos ao final da tarde, reduzindo desta forma a necessidade de urinar durante a noite;

*      Urinar a cada duas a três horas ao longo do dia, a fim de atenuar a urgência e diminuir o risco de retenção de urina na bexiga, que poderia causar uma infecção;

*      Praticar exercícios de Kegel (contracção dos músculos usados para controlar o fluxo de urina, em séries de 10 vezes, várias vezes ao dia) que tem como objectivo reforçar os músculos que envolvem o períneo, desenvolvendo o tónus muscular e controlar a micção.

 

publicado por Isabel às 20:24
link do post | comentar | favorito