.:mais sobre mim

.:pesquisar

 

.:Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.:posts recentes

.: Vacinação do recém-nascid...

.: Higiene do recém-nascido

.: Transporte do recém-nasci...

.: O trabalho de parto

.: Preparar a mala - o parto

.: Gestação... da 40ª à 42ª ...

.: Gestação... da 35ª à 39ª ...

.: Gestação... da 30ª à 34ª ...

.: Gestação... da 25ª à 29ª ...

.: Gestação... da 20ª à 24ª ...

.:arquivo

.: Setembro 2009

.: Agosto 2009

.: Julho 2009

.: Junho 2009

.: Maio 2009

.: Abril 2009

.: Março 2009

.: Fevereiro 2009

.: Janeiro 2009

.: Dezembro 2008

.: Novembro 2008

.: Outubro 2008

.: Agosto 2008

.:tags

.: todas as tags

.:as minhas fotos


Web Design

.:links

.:mapa dos usuários

Locations of visitors to this page
blogs SAPO

.:subscrever feeds

Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Desconfortos 2º trimestre (parte I)

Varizes

As varizes consistem em dilatações das veias superficiais dos membros inferiores, que ocorrem devido a um mecanismo de aumento da pressão no seu interior e a um enfraquecimento da parede da veia. Segundo BOBAK (1999), as varizes podem ser devidas à predisposição hereditária ou ser atribuída ao relaxamento dos músculos lisos das paredes das veias, condicionado pelas hormonas provocando vasoconstrição pélvica, situação que será agravada devido ao aumento do útero, gravidade e esforço aumentado para defecar.

Recomenda-se para minimizar ou prevenir este desconforto:

*      Evitar ficar sentada ou de pé por longos períodos. Se não poder evitar estar de pé, deverá manter as pernas em movimento;

*      Evitar cruzar as pernas;

*      Usar meias elásticas sem liga pois proporcionam maior sustentação e reduzem a distensão das veias – após recomendação médica de qual a compressão a utilizar e avaliação do índice de pressão tornozelo-braço;

*      Praticar exercício físico regular, desde que não haja contra-indicação médica, para facilitar a circulação sanguínea das pernas;

*      Quando descansar, elevar os membros inferiores;

*      Elevar os pés da cama, para que quando dormir estes se manterem elevados;

*      Antes de sair do banho passar o chuveiro com água fria nas pernas em sentido ascendente – esta recomendação empírica não foi


Hemorróidas

As hemorróidas consistem em dilatações do plexo venoso da submucosa rectal, formadas por tecido vascular, tecido conjuntivo e elástico e fibras de musculatura lisa existentes no canal anal e ânus. Estas podem surgir ou agravar-se durante a gravidez, provocando exacerbação e recidiva dos sintomas (tumefacção, dor, prurido e hemorragia), decorrentes do retorno de sangue que está obstruído pelo aumento da pressão nas veias hemorroidárias decorrentes da compressão do útero grávido.

Recomenda-se:

*      Prevenir a obstipação com as medidas já referidas, nomeadamente:

*      Aplicar gelo localmente;

*      Aplicar localmente compressas embebidas em água morna ou executar banhos de assento mornos com intuito de aliviar a dor;

*      Lavar a zona anal após cada defecação e se necessário aplicar um anestésico local - de acordo com a recomendação médica.

Lipotímia

A lipotímia (desmaio) e a hipotensão postural são desconfortos típicos do 2.º e 3.º trimestre da gravidez.

A hipotensão postural ou ortostática consiste na queda súbita da pressão sanguínea (tensão arterial) no momento em que a pessoa adopta a posição erecta (de pé). Deve-se à compressão exercida pelo útero sobre a veia cava ascendente, quando a mulher grávida está na posição de decúbito dorsal (de costas) levando à diminuição da perfusão.

A lipotímia consiste na pela perda de sentidos, havendo no entanto a conservação da respiração e circulação. Pode persistir durante toda a gravidez e é devida à labilidade vasomotora ou à hipotensão postural, provocadas pelas hormonas. Já na gravidez em estado mais avançado, pode ser devido ao aumento da estase venosa dos membros inferiores.

Os sinais e sintomas da hipotensão postural são os seguintes: palidez, sensação de tontura, sensação de desmaio, falta de ar, taquicardia, náuseas, pele húmida e fria e suores.

Recomenda-se:

*      Praticar exercício físico moderado;

*      Fazer inspirações lentas e profundas;

*      Movimentar vigorosamente as pernas;

*      Evitar mudanças bruscas de posição;

*      Manter ambiente fresco, evitando lugares com muita gente e ambientes fechados;

*      Evitar hipoglicemia (baixa de açúcar), fazendo 5/6 refeições por dia;

*      Descansar sempre que necessário;

*      Adoptar a posição de decúbito lateral esquerdo ou semi-sentada, com joelhos ligeiramente flectidos.

 

Azia e pirose

A azia consiste numa sensação de “ardor” a nível gástrico, na região inferior do tórax ou superior ao abdómen, enquanto que na pirose há um refluxo do conteúdo gástrico para o esófago sendo definida como uma sensação de ardor, dor ou mal-estar, desde o estômago até à garganta. Esta última é devida ao aumento do tamanho do útero e da pressão que exerce sobre o estômago e intestino, pois o estômago é empurrado para cima pelo útero grávido.

Devido à progesterona, a motilidade gastro-esofágica intestinal e da vesícula biliar, bem como a tonicidade dos esfíncteres estão diminuídos durante a gravidez, havendo assim uma diminuição do tempo de esvaziamento gástrico, o que conduz ao enfartamento, azia, pirose e obstipação.

Recomenda-se:

*      Efectuar um regime alimentar fraccionado, seis ou mais refeições por dia, em pequenas quantidades, evitando assim grandes refeições;

*      Evitar comer alimentos gordurosos ou muito condimentados, bem como bebidas gaseificadas, citrinos, café, chá e chocolate;

*      Identificar alimentos causadores de azia e evitá-los;

*      Evitar deitar-se logo após as refeições;

*      Manter uma ingestão hídrica adequada, bebendo no intervalo das refeições;

*      Beber pequenas quantidades de leite em intervalos curtos, de 15 a 30 minutos, para alívio temporário;

*      Levantar ligeiramente a cabeceira da cama, entre 15 a 20 centímetros;

*      Informar os profissionais de saúde se estas medidas não amenizarem o desconforto na medida em que poderá ser prescrita uma terapêutica adequada.

 

Desejos

Segundo BOBAK (1999), os desejos alimentares têm uma etiologia desconhecida e são condicionados pela cultura e área geográfica.

Não existe prevenção para tal desconforto. No entanto coloca-se a hipótese que estejam relacionadas com alterações hormonais que se verificam durante o tempo de gestação. Na verdade verificam-se alterações a nível do sistema gustativo e olfactivo.

Desconfortos relacionados com alterações do sistema tegumentar

Os desconfortos relacionados com alterações do sistema tegumentar consistem, de acordo com BRANDEN (2000) em quatro tipos: os distúrbios pigmentares, as estrias gravídicas, os tramas vasculares e os eritemas palmares. No entanto BOBAK (1999), também refere que há uma aceleração da actividade glandular sebácea e sudorípara.

 

Os distúrbios pigmentares surgem por volta da 8ª semana de gravidez e deve-se, em grande parte, à hormona estimuladora dos melanócitos em associação com o ACTH (tireotopina e hormona adenocorticotrópica), assim como também da acção dos estrogénios e progesterona. As alterações são mais marcantes nas zonas já de si hiperpigmentadas, como a face, as auréolas mamárias, as axilas, o abdómen, a região anal e as faces internas das coxas. As alterações mais específicas são a linha negra e a máscara gravídica. Afectam cerca de 50 a 70% das grávidas. A linha negra é uma linha escura que se estende da cicatriz umbilical, ou um pouco acima, até ao monte púbico. Desenvolve-se por volta do terceiro mês de gravidez, na primípara (só teve um parto) e frequentemente antes, na multípara (mulher que teve mais de um parto). Não é observada em todas as grávidas. A mascara gravídica ou cloasma, refere-se a manchas irregulares e acastanhadas que aparecem sobre os ossos do maxilar e na fonte por volta da 16ª semana de gravidez, acentuando-se até ao fim desta. Com o nascimento do bebé começa a clarear.

Recomenda-se:

*      Informar à mulher e família que é inevitável;

*      Informar que os distúrbios pigmentares desaparecem após a 1ª ou 2ª semana do puerpério;

*      Evitar a exposição ao sol;

*      Utilizar um creme hidratante com factor alto de protecção solar, pois, o sol escurece as manchas tornando mais difícil o seu desaparecimento depois do parto.

 

As estrias gravídicas consistem no rompimento das fibras elásticas, que sustentam a camada intermédia da pele, que é formada por colagénio e elastina (que são responsáveis pela sua tenacidade e elasticidade). Fruto da acção combinada das hormonas adernocorticosteroídes com o aumento do peso e do útero, pois provocam o estiramento do tecido conjuntivo subjacente à pele. Segundo vários especialistas quase 90% das grávidas desenvolvem estrias.

Recomenda-se:

*      Tranquilizar a grávida, informando que esta alteração é normal e que após o parto costumam ficar mais discretas;

*      Fazer uma alimentação equilibrada evitando o excesso de peso;

*      Fazer massagens;

*      Praticar exercício físico moderado;

*      Aplicar diariamente um creme especifico anti-estrias, um creme gordo ou óleo de amêndoas doces, na zona do peito, abdómen e nádegas.

 

As talangiectasias consistem em pequenos capilares localizados na pele, muito finos, ramificados, em geral de cor avermelhada, constituídas por microfístulas arteriovenosas. Fruto do aumento do fluxo sanguíneo subcutâneo e também ao aumento da secreção de estrogénios. São também chamadas “spider veins” pelo padrão tipo teias de aranhas e na grande maioria das vezes causam distúrbios apenas do ponto de vista estético. O aparecimento é mais comum na zona do tórax, pescoço, braços, face e pernas.

Recomenda-se:

*      Tranquilizar as mulheres, pois após o parto costumam ficar mais discretas;

*      Dar a indicação de aplicação de creme localmente.

 

Os eritemas palmares consistem em áreas rosadas muito bem demarcadas, difusas sobre as palmas e/ou dedos, que estão associadas, segundo BOBAK (1999), às telangiectasias e ao hiperestrogenismo.

Recomenda-se:

*      Tranquilizar a mulher e família, pois é inevitável;

*      Informar para o facto destes desaparecerem após a 1ª ou 2ª semana do puerpério.

publicado por Isabel às 22:11
link do post | comentar | favorito